Aba_horizontal

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Quem empurra os Estados-Unidos e a Europa a intervir na Síria ?


 Por AVIC, jornalista-ensaísta 11/09/2015
  
Com o pretexto de visar o Hezbollah ou o Hamas, Israel pode atacar em qualquer parte do mundo. "Para se defender", dirão os médias (mídia).

Só golpes sujos e mentiras que foram utilizados desde á 4 anos para forçar a NATO a intervir na Síria! Para que a NATO possa manobrar sem o consentimento do Conselho de Segurança das Nações Unidas, é preciso que Washington dê o sinal verde, com o consentimento do Reino-Unido e o seguimento da França. Para obter esse sinal verde, várias operações false-flag foram organizadas, desde massacres de crianças até á utilização de armas químicas, mas em vão.

Essas operações false-flag foram acompanhadas por uma campanha de desinformação sem precedentes alimentada pelas fotos e vídeos, todas mais atrozes que as precedentes, destinadas a criar uma emoção e uma indignação que obrigariam os governos a agir.

Não sendo suficiente, atentados foram "travados" ou perpetrados na Europa por supostos djihadistas "vindos de lá". Mas nada, nenhuma intervenção no horizonte, apesar das ameaças cada vez mais precisas dos terroristas cuja situação ficara insuportável.

Em desespero de causa, o único Estado que não parece ter nada a haver no meio desta história, o único cujo nome nunca aparece nos médias (mídia) quando eles falam do Estado-Islâmico ou do Fronte al-Nusra, o único enfim, que esteja oficialmente em guerra contra a Síria, mas que consegue portanto fazer crer que pôs a sua guerra entre parênteses esperando dias melhores, este Estado decide, a cada vez que seja necessário, de proceder a raids aéreos para livrar de situações difíceis os terroristas. Este estado é Israel. Com o pretexto de visar o Hezbollah ou o Hamas, Israel pode atacar em qualquer parte do mundo. "Para se defender", dirão os médias (mídia).

[...] Mas por quem ? Sabemos que a Turquia, á hora actual da grande partilha, tem ambições certas e não as esconde. Mas o resto ? A Arábia-Saudita ? Certamente não. O Qatar ? Ainda menos, tão menos que os Emiratos ou os sultanatos do Golfo. Mas portanto eles financiam. Assim como eles financiam, sob pedido, as compras de armas do exército Libanês á França ou os Rafale para o Egipto. O que significa que financiar não é comandar, mas que esse financiamento é ele mesmo comandado. A maneira pela qual o pai do actual Emir do Qatar foi ejectado prova, se fosse preciso, que as monarquias do Golfo não são mestres do jogo neste assunto, nem mesmo na gestão dos mercenários na Síria e Iraque. E portanto não é possível entender falar destes terroristas sem que se lhes junte, como uma espécie de mantra, as palavras "criados", "apoiados", "financiados", pela Turquia, o Qatar e Arábia-Saudita.  por vezes, aqueles que sejam um pouco mais "complotistas" ainda juntam : "financiados pelos Estados-Unidos". Esta menção, que se deseja exaustiva, só tem um objectivo : deixar na sombra aqueles que devem ficar na sombra, quer dizer a Grande-Bretanha (verdadeiro autor da guerra na Líbia, e na origem de tudo o que se passa no Médio-Oriente, Israel, que parece ser o coordenador de tudo o que se passa na Síria, e sobretudo os proprietários dos médias, proprietários igualmente de Israel e das grandes praças financeiras. CIA, MI6 e Mossad são apenas instrumentos entre as suas mãos, independentemente dos governos que não passam de ferramentas.

Artigo aparecido no 11/09/2015, parcialmente traduzido e reproduzido a partir do site reseauinternational.net
=========================================================================
NdT - Sempre escondidos, atacam sempre através de marionetas. Esta metodologia é própria aos talmudistas, está-lhes no sangue. É necessário desmascarar estes sacanas, tentar ver para lá das aparências e apanhar os ratos. Estão escondidos mas a gente descobre-os, o rato deixa sempre o rabo de fora.

União total contra o projecto da Al-Qaida e do Daesh


O conflito que enluta a Síria não é uma guerra civil opondo comunidades entre si, mas, sim, uma guerra entre dois projectos de sociedade.
Por um lado, uma Síria moderna e laica, quer dizer respeitadora da diversidade étnica, religiosa e política; do outro, a ideologia dos Irmãos Muçulmanos que visam, desde a sua criação, em 1928, restaurar o califado otomano através da Jiade.

A Irmandade Muçulmana assegura querer defender e propagar o Islão(Islã-br). Mas, a sua leitura do Alcorão exclui qualquer experiência espiritual de Deus e reduz o mesmo a um simples manual jurídico. Eles pregam, na verdade, uma religião sem Deus.

Continuar a leitura AQUI

Democracia e gangrena


 Por Desatracado, ensaísta, 24/09/2015

 ... cada ideologia partidária destrói alguma coisa diferente do outro, e assim, na somatória, acabam destruindo tudo. Por isso é de supra importância a tal da "alternância de poder".

Democracia e gangrena, o que ambas têm em comum? Nos ensina a Medicina que "gangrena é a morte de um tecido do corpo devido à insuficiência de irrigação sanguínea em uma determinada região ou à uma infecção bacteriana. A doença é mais comum nas extremidades do corpo, incluindo pés, dedos, braços e pernas, mas também pode ocorrer em músculos e órgãos internos. Há dois tipos principais de gangrena, a seca e a húmida."

Para que servem os partidos políticos? Para gangrenar. Vejamos.


 No Brasil, uns pedem intervenção militar contra o governo porque nem situação nem oposição lhes representa, e a oposição derrotada na eleição que também não representa nem um nem outro segmento eleitoral, não se conforma criando confusão. E o imbróglio não para.

Analismos breve e primeiramente para que servem os Partidos de Direita, Esquerda e Centro, constatamos:

Partidos de Esquerda: para destruir a religião, a família, a educação, a meritocracia, a nacionalidade, ... em nome da igualdade, da justiça social, da tolerância, ....

Partidos da Direita: para destruir os pequenos e médios empreendimentos, a agricultura familiar, a indústria nacional, ... em nome do Estado mínimo, favorecendo o grande capital, a especulação pelo sistema financeiro privado, ...

Partidos do Centro: destruir partes de um ou de outro dos dois acima e aquilo que por ventura deixaram passar. E todos os três defendem alguma minoria, o que acaba levando a destruição da maioria, ou seja, a destruição da unidade nacional.

A lista é com certeza maior, e muitos partidos de posições diferentes, tem objetivos comuns para destruir ou gangrenar.

Observando sem paixões ideológicas, nenhum partido atende as necessidade do povo por completo, todos estranhamente têm uma ideologia de "cobertor curto", quando cobre aqui, descobre lá e nunca fecha o todo. Consequentemente, nenhum realmente representa a vontade do povo por completo. Se não representa o povo como um todo, pode ser legítimo nas urnas, mas não é legítimo no aspecto moral e cívico nem competente quanto aos anseios do povo ou como representante integral da Nação, e com essa prática, incorre-se no grave perigo de produzir divisões internas então inexistentes na Nação e de aprofundar as existentes, como tem realmente ocorrido.

Como vemos, cada ideologia partidária destrói alguma coisa diferente do outro, e assim, na somatória, acabam destruindo tudo. Por isso é de supra importância a tal da "alternância de poder". São todos fatores que geram desgaste ao povo em sua economia, civismo e paciência, confundindo e trapaceando essa agenda gangrenosa que mata aos poucos a todos, sem ser muito percebida ou compreendida, impedindo consertos, defesa ou combate ás suas mazelas. Realmente, a Democracia é uma tática de destruição excepcional. O próprio povo, a principal vítima, é também o carrasco, que (c)ordeiramente vai se auto gangrenando.

Portanto, parafraseando sobre a definição da gangrena, nos ensina a observação da História e Política que "Democracia é a morte de um tecido da Nação devido à insuficiência na promoção em uma determinada área material, social e/ou espiritual. A destruição é mais comum por partes (para não levantar suspeitas) do corpo da Nação, incluindo infraestrutura, educação, economia, valores cívicos e espirituais, soberania, conceitos, história. Há dois caminhos principais de gangrena, a esquerda e a direita."


Compreendido que tanto a Democracia como a gangrena vão corroendo paulatinamente os seus respectivos tecidos até ao óbito, fazem patéticas quase a totalidade das discussões sobre esse ou aquele candidato, partido ou se é de esquerda ou direita. Por isso digo e repito que a "Democracia (correto é Vulgocracia) de direita, centro ou esquerda, é um circo que só palhaço acredita. E o palhaço ainda é burro e pagante."

E como se cura a gangrena?

Artigo aparecido no 24/09/2015, reproduzido a partir do site desatracado.blogspot.com
=========================================================================

NdR - A percepção que se tem hoje de "democracia" não teria nenhum sentido para um ateniense da antiguidade. É sim uma forma de tirania disfarçada com casaca de "democracia representativa", na qual os partidos políticos são os seus executantes.

França participa no tráfico de imigrantes



Fabrice Leggeri, director do Frontex, a Agẽncia Europeia de Vigilância das Fronteiras, avisou desde o dia 1 de Setembro sobre um vasto tráfico de verdadeiros-falsos passaportes sírios.

O ministro alemão do interior, Thomas de Maizières, denunciou vivamente este tráfico que permite aos migrantes económicos vindos do mundo inteiro fazerem-se passar por refugiados políticos sírios.

O ministro sublinhou que muitos nem sequer falam o árabe.

Até ao começo da guerra contra a Síria, os autênticos passaportes sírios não eram imprimidos na Síria, mas sim na fábrica de imprimir nacional francesa. De facto, a única potência capaz de fabricar verdadeiros-falsos passaportes sírios é a França.

Rede Voltaire

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Falsos Sírios, falsos refugiados : Alemanha é responsável pela anarquia migratória


 Por Gabriel Robin, ensaísta, 27/09/2015

Face á política desastrosa da Alemanha e da França, uma frente de resistência á inundação migratória começa a nascer a Leste.

A Alemanha está perdida, os seus dirigentes praticam uma política malthusiana que os obriga a fazer vir uma mão-de-obra extra-europeia a baixo custo, depois de esvaziar os países vizinhos de suas forças vivas para trabalhar nas grandes indústrias. As birras de Angela Merkel encorajaram os clandestinos a entrar na Europa, e sobretudo um importante número de verdadeiros-falsos Sírios. Um pedinte de asilo sírio beneficia de largas vantagens acordadas por Berlin. De facto ao contrário de outros pedintes de asilo, os "migrantes" sírios que chegam á Alemanha não são reenviados para o país pelo qual entraram na União Europeia, como estipulam as regras europeias. Aliás, os seus dossiers são tratados com prioridade.

Resultado ? Muitos imigrantes ilegais apressaram-se para procurarem falsa documentação síria. Nos 6 primeiros meses do ano de 2015, 256.938 pessoas depositaram um pedido de asilo na Alemanha. Berlin "espera" mesmo registar entre 800.000 e 1 milhão de pedintes de asilo até ao fim de 2015! Uma política irresponsável e suicida á qual François Hollande colabora muito largamente.

Dos 256.938 pedintes de asilo já registados, 55.587 pessoas pretendiam ser sírios. Será que o são realmente ? Não se nos fiarmos na palavra de Tobias Plate, porta-palavra do ministério do interior do governo federal alemão : "não é questão de estatísticas mas de uma estimação que se apoia sobre o que as autoridades locais, em particular a policia e o Frontex (agência de vigilância das fronteiras exteriores da União Europeia)." Incapaz de fornecer uma estatística precisa, o homem no entanto manteve a postura. Tem de se dizer que o ministério do interior alemão está sob uma forte pressão da parte dos dirigentes de certos lander, em particular o da Baviera. Os habitantes da Baviera, submetidos a um afluxo sem precedentes de populações extra-europeias, não vêm com um bom olho esta política do governo federal.

Thomas de Maizière, ministro do interior alemão de ascendência huguenote,  não pode negar a amplitude do fenómeno, declarando : "Nós constatamos falsos passaportes sírios. Existem indicações segundo as quais muitos migrantes que pretendem vir da Síria não sabem dizer uma palavra em árabe." Terrível constato enfim! A Alemanha atirou centenas e centenas de imigrantes indesejáveis sobre o seu território, e assim em todo o território da União, em utilizando um argumento falacioso. Marine Le Pen tinha total razão : os supostos "refugiados" são, na Alemanha como em França, imigrantes económicos. Estes imigrantes perturbarão ainda mais a nossa economia e identidade.

Face á política desastrosa da Alemanha e da França, uma frente de resistência á inundação migratória começa a nascer a Leste. Os Húngaros, dirigidos por Orbán, começam a ser imitados. Eslovacos e Checos juntaram-se á ideia simples e eficaz de uma imigração zero. Brevemente, a Áustria e a Polónia se juntarão a esta frente. O interesse da emergência deste neo-Império Austro-húngaro, que aliás lembra um outro que soube resistir aos Turcos durante séculos, e que nos permitirá a libertação desta cintura alemã sobre a Mitteleuropa. A França deve seguir o movimento o mais rápido possível. Ela não poderá fazê-lo com estes dirigentes actuais, ou seus precedentes, submissos a Berlin. Vocês sabem o que resta a fazer.

 Artigo aparecido no 28/09/2015, traduzido e reproduzido a partir do site Polemia.com

Imagem : Migrantes á chegada á gare de Munich, no 7/09/2015. - (REUTEURS/Michaela Rehle)
Berlin estima que um terço dos migrantes sejam falsos sírios.

=========================================================================

NdT -  Quanto mais a tirania oligárquica se fazer sentir, mais focos de resistência a esta invasão se formarão. A prova é este bloco de Países a leste, e igualmente demonstra que o europeu autóctone não está acabado como muitos pensam com exagerado pessimismo. Nada se fará sem luta, a bem ou a mal.

Como dizia Pierre Sidos : A primeira coisa necessária para lutar contra um sistema decadente, é o de se afirmar com toda a sua existência em contradição total com ele.

B'nai B'rith apoiam a imigração através da associação IsraAID

IsraAID é uma associação humanitária (sic) fundada por membros do B'nai B'rith, uma organização da maçonaria talmúdica.

Esta associação talmúdica apoia fortemente a entrada de clandestinos para a Europa, fornecendo apoio de todas as formas e maneiras aos clandestinos, tais como alimentação, roupa, água e mesmo mapas com informação muito completa de quais caminhos a tomar, números de telefone, de como pedir ajuda aos governos europeus, etc.

Lembre-se que Israel, o estado mais totalitário e discriminatório do mundo, não aceita nenhum daqueles a quem chamam de "refugiados" quando concerne a Europa, mas sim chama-os de "terroristas" quando o assunto diz respeito a eles  e não aceita acolhê-los. No entanto obriga os países europeus a acolhê-los, ajuda mesmo no transporte e encaminhamento de refugiados para a Europa...

- que pensarmos desta dupla linguagem já de si muito famosa e asquerosa destes talmudes ?
- que pensar de toda esta hipocrisia ?
- quem pode continuar cego face a toda esta trama talmudilheira ?

Nem vou comentar mais o assunto, o leitor que julgue por si próprio...

Reagrupamento familiar: a arma secreta da imigração

Um facto deveras desconhecido, ou muito pouco conhecido, são as leis do reagrupamento familiar. Esteja certo de que todos os números mediatizados como sendo a quota de imigrantes a acolher por tal e tal país Europeu, é a multiplicar no mínimo por 3. E talvez esteja a ser muito generoso, vejamos como se processa o esquema...

O que é o Reagrupamento Familiar ?

É uma lei que consta no TFUE (Tratado de Funcionamento da União Europeia) que permite a um imigrante trazer a sua família para o país onde imigrou e com todos os direitos de prestações sociais e facilidades dadas aos autoctones. Para além desta lei, cada país da União Europeia, tem a sua própria lei do reagrupamento familiar conforme ao TFUE, que em caso algum pode  contrariar, sendo admitida apenas se equivalente ou melhorar a lei do TFUE.

O Reagrupamento Familiar no TFUE

Artigo 79.º

a) Condições de entrada e de residência, bem como normas relativas à emissão, pelos Estados-Membros, de vistos e de títulos de residência de longa duração, inclusive para efeitos de reagrupamento familiar

Directivas Europeias do Reagrupamento Familiar

Não vou estar a citar ponto por ponto, deixo o leitor ler com os seus próprios olhos a totalidade desta traição...apenas vou resumir muito brevemente o que nos diz respeito.

Todo o imigrante aceite em território da União Europeia usufrui dos seguintes direitos (não tem nenhum dever, só direitos!) :

a) requerer a vinda do cônjuge
b) requerer a vinda dos filhos, incluindo adoptados ou á guarda, se forem menores de idade
c) requerer a vinda de ascendentes directos, tais como pai e mãe.
d) requerer a vinda de filhos maiores de idade á condição que sejam solteiros
e) requerer a vinda de pessoa que mantenha uma ligação de união de facto

Caro, rende-te conta que então o número de 5000 imigrantes a serem acolhidos por Portugal...equivalem na realidade no mínimo dos mínimos a 15000 imigrantes ou 15000 parasitas...igualmente para os outros países Europeus ou fora da Europa. Isto resultará num decréscimo do nível de vida de todos os habitantes de Portugal...um acréscimo de miséria á miséria já cá existente.

 Autor: Gang2 Ervilha

domingo, 27 de setembro de 2015

2015, ano radical, portanto um ano decisivo



Por Michel Geoffroy, ensaísta, 25/09/2015

2015 vê a radicalização das tendências que estavam em acção na Europa. Isto significa também que o futuro europeu repousa em soluções radicais.

A radicalização islamista

2015 é antes de tudo um ano de radicalização islamista, com os atentados na França - que começaram desde o Natal de 2014 - e a progressão do EIL na Síria, ao qual se juntaram muitos djihadistas "europeus".

Nos dois casos os governos europeus mostraram a prova de sua impotência a controlar o fenómeno, que aliás eles contribuíram a criar, precisamente em semeando o caos na Líbia e Síria.

A radicalização migratória

2015 marca a aceleração radical da Grande Substituição dos Europeus.

A crise migratória dos "refugiados" confirma as sinistras previsões de Jean Raspail no seu romance profético "O Campo dos Santos", até mesmo a orquestração mediática dos bons sentimentos e da emoção, destinada a bloquear toda a reacção dos autóctones. Doravante o caos dos "refugiados" instalou-se no solo Europeu : em Lampedusa, na Macedónia, na Hungria, nas fronteiras da Alemanha ou em Calais.

E a repartição autoritária desses mesmos "migrantes" entre os diferentes países, regiões e municípios, segundo a iniciativa da Alemanha, demonstra de maneira visível para todos que a substituição nos é imposta de força por toda a oligarquia europeia e para único proveito do patronato.

A radicalização totalitária

2015 confirma também o carácter cada vez mais tirânico da União europeia.

A crise grega demonstrou que um governo democraticamente eleito com um programa de reforma da política financeira da zona euro poderia ser espezinhado pela Alemanha e as instituições financeiras. A democracia europeia nasceu na Grécia : ela vem de ser enterrada pelo euro.

Mas ainda que seja questão das muitas revelações sobre a cumplicidade dos governos europeus na espionagem massiva das comunicações efectuadas pelos Estados-Unidos e seus aliados anglo-saxões (ou seja na espionagem da população europeia) ; que seja na adopção por todos os governos europeus de legislações destinadas a reforçar a espionagem com o motivo de "lutar contra o terrorismo" (quer dizer o de se atacar á liberdade de expressão na internet) ; que seja no assédio judiciário permanente das quais são victimas os dissidentes e partidos populistas ; que seja na recusa de oferecer asilo aos lançadores de alerta que revelaram ao mundo a amplitude da duplicidade dos Estados-Unidos para connosco, é cada vez mais evidente que a União europeia começa a ficar uma prisão para os europeus.

A radicalização belicista

2015 vê enfim a radicalização ocidental para com a Rússia, conforme á estratégia americana que os governos europeus seguem cada vez mais como simples lacaios.

No seguimento das sanções económicas - das quais são victímas nossos agricultores - recusa de venda pela França dos materiais comandados pela Rússia, manobras militares nos países limítrofes, assistência militar americana á Ucrânia para apoiar a repressão contra a população russófona, recusa de participação dos governos europeus nas cerimónias da victória russa de 1945 : a lista das provocações europeias contra Moscovo não pára de se alongar. Mas com que objectivo, senão o de nos precipitar no caos ?

Essas provocações são tão perigosas que os governos europeus, impotentes em proteger as fronteiras da Europa, impotentes em garantir a segurança da população e sem exército credível, não estão mais, em estado de ameaçar alguém. Nem mesmo os djihadistas.

A radicalização europeia

A oligarquia e seus cães de guarda mediáticos não cessam de diabolizar os Europeus que seriam hoje tentados por "soluções extremas" e partidos populistas.

Mas isso advém precisamente que um número crescente de Europeus que se encontra face a situações extremas que têm um nome : o desemprego, a precariedade, pequenos trabalhos, pobreza, preferência pelo estrangeiro no acesso ás prestações sociais e ao alojamento, fiscalidade, insegurança, declínio dos serviços públicos, sentimento de ser um estrangeiro no seu próprio pais... A lista destas situações extremas não pára de aumentar na Europa.

Os partidos populistas ou identitários começam a ser efectivamente cada vez mais populares na Europa. Porque cada vez mais os Europeus compreendem que este sobressalto europeu necessita de soluções... radicais.

Artigo aparecido no 26/09/2015, traduzido e reproduzido a partir do site Polemia.com

Imagem : Sócrates, uma eminente figura da filosofia e um cidadão modelo. A sua condenação á morte em 399 testemunha da crise de confiança que atravessa a democracia ateniense.
=========================================================================

 NdT - Este é um quadro muito negro da actual situação na Europa que dá muito que coçar ás nossas cabeças, muito que pensar. Desde que entramos na União Europeia, perdemos a nossa Soberania. É urgente sair desta prisão, é urgente que todos os cidadãos europeus acordem do sono o mais rápido possível e deitemos abaixo esta podridão e lixo de União Europeia. Acordar as consciências, não para admitir estes feitos como irreversíveis nem se deixar ir, mas para combatê-lo e recusá-lo com firmeza.

Como dizia Sócrates : a queda em si não é um erro, o erro consiste em ficar lá onde caímos.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

A Europa é isto...

Este vídeo tem legendas em espanhol e inglês, basta ir ás definições e escolher.



O orgulho de ser europeu não se pode resumir numa frase tipo "orgulho em ser europeu". É muito mais do que isso, são séculos e séculos de história que nunca poderão ser apagados. [aos 3:54 é vista a Torre de Belém].

"Eu creio nas qualidades específicas dos europeus, que estão provisoriamente adormecidas. 

Creio na sua individualidade de acção, na sua inventividade e no despertar da sua energia. 

O despertar virá. Quando ? Eu ignoro, mas sei que esse despertar chegará."

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Alemanha: Epidemia de Violações Perpetrada por Migrantes

- Apesar do estupro ter ocorrido em junho, a polícia não se pronunciou por cerca de três meses, até que a imprensa local publicou um artigo sobre o crime. Segundo comentários editoriais no jornal Westfalen-Blatt, a polícia se recusa a vir a público e se pronunciar sobre crimes envolvendo refugiados e migrantes, para não dar legitimidade aos opositores da migração em massa.

- Uma menina muçulmana de 13 anos foi estuprada por outro candidato a asilo em uma dependência para refugiados em Detmold, uma cidade no centro-oeste da Alemanha. A menina e a mãe, ao que consta, fugiram de sua terra natal por causa da violência sexual.

 - Cerca de 80% dos refugiados/migrantes no abrigo em Munique são homens... o preço de favores sexuais de mulheres requerentes de asilo é de dez euros. — Emissora Bávara (Bayerischer Rundfunk).

 - A polícia na cidade bávara de Mering, onde uma menina de 16 anos foi estuprada em 11 de setembro, emitiu um alerta para que os pais não deixem seus filhos saírem de casa desacompanhados. Na cidade bávara de Pocking, os diretores do Wilhelm-Diess-Gymnasium alertaram os pais a não deixarem suas filhas vestirem roupas provocantes com o intuito de evitar "mal-entendidos".

 - "Quando adolescentes muçulmanos do sexo masculino vão a piscinas públicas e veem meninas de biquíni, ficam estupefatos. Esses meninos, que vêm de uma cultura onde se franze as sobrancelhas se as mulheres mostrarem somente a pele, irão atrás de meninas, incomodando-as, sem sequer saber o que estão fazendo. Obviamente isso irá gerar medo". — Político bávaro, citado pelo jornal Die Welt.

 - Uma invasão policial nas dependências para refugiados em Munique descobriu que os guardas contratados para a segurança estavam envolvidos em tráfico de drogas e armas, além de fazerem vista grossa em relação à prostituição.

 - Enquanto isso, o estupro de mulheres alemãs cometidos por requerentes de asilo está se tornando lugar comum.

Continuar a leitura AQUI

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Doutor sírio dedica-se ao tráfico de humanos, negócio muito rentável

Aqui mais uma prova de que as autoridades europeias fomentam a criminalidade, graças á sua "tolerância" e "humanismo" trotskysta.

Um antigo Doutor sírio, achou mais lucrativo o tráfico de humanos para a Europa. Com cerca de 80 mil euros ganhos só este mês.

Este traficante deve estar muito grato á União Europeia, continue com as portas bem abertas e que morram mais crianças nas travessias, para impulsionar ainda mais o negócio.

Estes políticos são todos uns criminosos, um dia terão de pagar os erros.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Os judeus no tempo das persecuções contra os cristãos

Os judeus no tempo de Nero

Nós não sabemos a parte que os judeus tiveram nesta famosa persecução (64) quando Nero entregava como pasto a cães furiosos os cristãos envoltos com peles de animais, onde os barrava de betume, transformando-os em tochas vivas para aclarar as suas orgias nocturnas.

O que nós sabemos, é que Nero, acusado pelo seu povo de ter acendido o famoso incêndio de Roma para obter a partir do topo da sua torre a ilusão agradável do incêndio de Tróia, considerou muito hábil acusar os cristãos, e para dar crédito á calunia, de desencadear sobre eles a persecução.

Quem sugeriu esta ideia de acusar os cristãos ? "Os cortesãos", dizem os historiadores. Ora, sabemos que Nero não tinha cortesãos mais assíduos que os judeus. Hoje eles dizem : "Foram os clérigos, os da água benzida". Eles bem podiam dizer então : "Foram os Nazarenos". Eles nunca mudam o refrão.
Em todo o caso, os judeus se vangloriam eles mesmos de ter provocado as persecuções sob cinco imperadores romanos.

Vamos citar os seus próprios testemunhos:

Os judeus sob Domiciano (81-96)

O livro judeu Sefer Juchasin (edição Amesterdão 1717) relata que no tempo do Papa Clemente (100), os judeus meteram á morte, em Roma e fora dela, uma multidão de cristãos "incontáveis como a areia do mar", diz o texto.

Os judeus sob Antonino Pio (138-161)

Antonino Pio, bem entendido, tolera os cristãos. Fala-se mesmo de um édito promulgado a favor. Mas este édito, a supor a sua autenticidade perfeitamente estabelecida, o que não o é, significava no entanto que este imperador perseguia menos do que o precedente.

O édito, em todo o caso, visava apenas os cristãos da Ásia, não anulava o seguinte facto contado no Seder Hadoroth dos judeus, página 127, no que respeitava aos cristãos de Roma :

Rabbenu Jehuda, está escrito, tinha os favores do monarca (Antonino).
Ele então aponta a malícia dos Nazarenos como a causa de uma doença pestilenta e obtém a morte de todos os Nazarenos que se encontravam em Roma no ano de 3915 (155 d.C).

Os judeus sob Marco Aurélio (161-180)

A mesma passagem do mesmo livro indica que foi sob a influência dos judeus que Marco Aurélio massacra todos os Nazarenos que podia, em 177.
Desses Nazarenos, foram Santo Pothinus, bispo de Lyon, e 47 dos seus fiéis, dos quais Santa Blandina com os cristãos Maturus e Sanctius.

Os judeus sob Caracala (211-217)

Caracala é o nome desse monstro que degolou o seu irmão Geta entre os braços da sua Mãe, depois matou 20.000 romanos culpados de terem chorado a morte do jovem príncipe.
Sob o reino deste imperador, os judeus deram-se de coração e joia contra os "Nazarenos".
O Seder Hadoroth diz, na página 125, que : "No ano de 3974 (214 d.C), os judeus mataram 200.000 cristãos em Roma e todos os cristãos de Chipre."

Os judeus sob Diocleciano (285-305)

O édito de persecução promulgado por este imperador (303), no qual "todas as Igrejas devem ser demolidas, todos os cristãos que se recusem a adoração aos deuses do império, serão enviados para o suplicio", fez correr o sangue cristão como fonte durante 10 dias consecutivos, período sanguinário que foi precisamente chamado de a "Era dos Mártires".

Que parte tiveram os judeus ? No seu livro, Sefer Juchasin, na página 108 diz : "Sobre o desejo dos judeus, Diocleciano mata um grande número de cristãos, dos quais os Papas Caio e Marcelino, assim como o irmão de Caio e sua irmã Rosa."

=========================================================================

NdT: Este é um breve trecho (sem as notas complementares), tirado do livro " Le juif sectaire ou la tolérance talmudique (O judeu sectário ou a tolerância talmúdica) do autor Vial Marie - Léon, editado em 1889. Os livros talmúdicos que ele faz referência tais como Sefer Juchasin e Seder Hadoroth existem na realidade. No link correspondente ao Sefer Juchasin (no artigo), é dito sobre o autor : "A sua obra mais importante, intitulada: Sepher Juchasin (Livro das linhagens), foi pela primeira vez impressa em Constantinopla, no ano de 1566, e nela se encontram curiosas notícias a respeito da história religiosa da nação dos israelitas e a respeito dos rabinos que viveram até 1500 e dos violentos ataques contra o cristianismo."

Esta é mais uma prova, segundo os livros dos próprios talmudistas, em que seja que lado for e em que época for, onde existe matança de cristãos, é quase certinho que quem puxa os cordelinhos é um talmúdico.

O livro está disponível AQUI para download. O trecho é tirado da página 37-38.

sábado, 19 de setembro de 2015

75% dos clandestinos são homens jovens

Gráfico que compreende apenas estatísticas da Malta, Grécia, Espanha e Itália

Actualmente esta vaga imigratória é constituída a 75% de jovens homens e apenas o restante de mulheres e crianças. Como é que se pode explicar esta diferença ? Só se explica pelo feito de andarem á busca de melhorias económicas ou explorar as ajudas sociais dos países do continente Europeu.

Reparem que se na realidade fossem refugiados de guerra, ver-se ía certamente mais mulheres, crianças e idosos nestas vagas imigratórias. No entanto não é o caso. Dever-se ia perguntar aos 75% de jovens homens, como é que conseguiram arranjar coragem de fugir da guerra e ainda mais coragem para abandonar os seus idosos, mulheres e crianças ? Só não vê isto quem é cego! É preciso estar numa tal dormência cerebral para não se render conta deste mistério.

Experimente ver um documentário da 2ª guerra mundial, e verá bem que a maioria dos homens jovens daqueles tempos assumiam o role de defender a sua pátria, não fugiam á guerra. As massas de exilados eram constituídas na sua maioria por crianças, mulheres e idosos. É uma diferença muito grande de valores de nós povos da Europa e estes ditos "refugiados"...

Eu não digo que são todos falsos refugiados. Existem aqueles sinceros que fogem verdadeiramente da guerra.  Esses estou de acordo que se deva ajudar, as crianças, mulheres e idosos. Mas então não devemos primeiro ajudar os de cá ? Os Países europeus têm milhões de desempregados...

Manipulação mediática : o caso do pequeno Aylan

Vou pôr de parte a questão de saber se era falsa ou não a morte do pequeno Aylan ou se o cenário foi premeditado.

Vamos supor que seja verdade e que na realidade o caso tenha ocorrido devido á força das circunstâncias.

A propaganda mediática

Acho que não é o facto de toda a mediatização do caso Aylan estar errada em si. É um caso como tantos outros que tiveram o seu lugar de destaque nos meios de informação. Mas é um destaque selectivo mesmo assim. Pense-se que centenas de crianças foram mortas na Palestina, no Iraque e os médias nunca se dignaram divulgar essas imagens. Portanto a promoção da foto de Aylan obedece a um objectivo político.

Agora o que parece mais estranho neste caso, é o de se tentar resumir todo este caso a uma simples equação de ordem moral, tudo em ocultando o contexto.

Devido a toda esta martelada mediática, constante, dia após dia, naturalmente o espírito humano focalizar-se á para a seguinte equação: você quer deixar morrer mais pessoas sem nada fazer ou deseja fazer alguma coisa e assim parar com estas mortes humanas ?

A equação é muito simplista na realidade. Afinal quem não fica com o coração chocado após ver a fotografia do Aylan passada e repassada sem fim ? O resultado é que se provoca na realidade um efeito perverso: raciocinar através da emoção e não da razão.

É uma manipulação incrível! Não é a primeira vez, e de certeza não será a última, em que os médias utilizarão sempre e sempre esta técnica de ensaboamento cerebral. É um método na realidade muito vulgar e banal, mas de uma eficácia impressionante. Seja quem for, sem se aperceber, cai constantemente nesta armadilha. Mesmo eu que estou para aqui a escrever! Ninguém é mais esperto nem burro que qualquer um.

Pela emoção

Ora consideremos as duas questões impostas:

1) Você quer deixar morrer mais pessoas inocentes sem nada fazer ?

2) Você deseja fazer alguma coisa e assim parar com estas mortes inocentes ?

As duas questões, cada uma obviamente só têm duas respostas possíveis, um sim ou um não.

Está mais que óbvio que toda a gente responderá não á 1ª e sim á 2ª. Isso implica que quer se queira ou não queira, toda a gente estará de acordo para receber os "refugiados". Porque se você não estiver de acordo para receber "refugiados" isso significa que você teria respondido "sim" á primeira pergunta, e isto independentemente de ter escolhido sim ou não na 2ª. É um golpe mediático que o manterá sempre prisioneiro. Não há escapatória possível.

Isto resulta no seguinte: seja, ou você é cúmplice de mortes inocentes ou um humanitário com compaixão. Não existe alternativa possível tal e qual como a propaganda concebeu o caso para o público.

Pela razão

Vejamos então o assunto sem qualquer emoção. Com frieza. Sob este prisma, o espírito humano vai se obrigar a ele mesmo a buscar as causas que provocaram o efeito. É exactamente o contrário do raciocínio emocional que se concentra apenas nos efeitos e não tenta descobrir as causas. As duas questões citadas em cima, marteladas através da propaganda, deixarão assim de fazer sentido.

Muito rapidamente descobre-se de uma maneira geral que foi por causa da guerra que o pequeno Aylan morreu, e não pela falta de coração daqueles a quem os médias, através da propaganda desenfreada, tentam submergir o público numa espécie de "auto-culpabilização" e assim quebra-se a última barreira lúcida capaz de avaliar bem a situação.

Agora existem aqueles que vão á causa das causas, ou que têm uma visão mais ou menos profunda do contexto geopolítico, económico e social de tudo o que rodeia a morte do pequeno Ayla. Não é meu objectivo neste artigo inclinar-me para uma tentativa de decriptar todo esse contexto obscuro que envolve o caso...apenas uma pequena vistoria ao Pai de Aylan...

Abdullah Kurdi: o traficante de humanos

O Pai de Aylan, um dito Abdullah Kurdi, na realidade é o único culpado da morte do seu filho. Consta que vivia em Kobané, um local onde houve guerra no passado, mas actualmente não se encontra em perigo. É uma cidade em paz como prova o feito de ter lá ido fazer o funeral de Aylan. Se não fosse um local em paz, certamente não teria podido ir a Kobané para o funeral. Desejava, segundo ele próprio, vir para a Europa apenas para arranjar os dentes. E assim levou o seu próprio filho ao encontro da morte...porque apenas queria arranjar os dentes, seguramente ás custas de quem trabalha.

Mas mais interessante ainda, é a confissão de uma mulher, Zainab Abbas que acusa o Pai de Aylan de ser um traficante de pessoas, um passador. Tendo ela mesmo pago cerca de 10.000 dollars a Kurdi e a outra pessoa para poder chegar á Europa. Esta mulher acabou por perder dois filhos na tragédia.

Como vemos, o facto de ser um traficante de humanos foi o que o levou á desgraça e á morte do pequeno Aylan. Ele é o único culpado da tragédia.

Isto prova que com uma simples fotografia, chega-se ao ponto de "culpabilizar" milhões de pessoas pela morte de uma outra apenas com uma simples e desenfreada manipulação mediática (bem preparada), quando na verdade, a realidade torna-se bem diferente se examinarmos o assunto com frieza.

Um outro assunto, ligado a este que mete na frente a foto de uma criança inocente, é o feito de as propagandas porem sempre fotos de mulheres e crianças nos médias, para ocultar do público o feito de que a maioria (75%) dos ditos "refugiados" são homens.


Muita descontração os pescadores...
Autor: Gang2 Ervilha

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Relatório sobre o negócio da imigração e seus tráficos paralelos.

Este é um relatório muito interessante. Demonstra toda a imensidão dos negócios ilegais que vão de par com o tráfico de clandestinos. Mas a meu ver peca por não demonstrar como é que os clandestinos conseguem arranjar as somas colossais para poder pagar aos traficantes a viagem. As explicações de racket ás famílias, etc, deixam muito a desejar como explicação. Segundo o relatório, a "rota do mediterrâneo", a partir da Líbia: custa aos clandestinos só para poderem chegar á Líbia entre  800 à 1000 dollars por pessoa, e entre 1500 a 1900 dollars só para poderem embarcar num barco a partir da Líbia em direção á Europa.

Em euros, isto dá em números redondos, de 700 a quase 800 € só para chegar á Líbia e depois de 1300 a 1600 € para a travessia!

Isto são somas enormes e nem se tem em conta a alimentação que custará mais uns tantos euros! Tomemos também atenção de que a grande maioria são jovens que não tiveram seguramente tempo de juntar durante suas curtas vidas de trabalho tais condições financeiras, pois mesmo aqui na Europa nós mesmos, é com muito mal e sacrifício que conseguimos ter em posse essas somas e a maioria apenas sonha já ter uns 1000 euros... Veja-se aqui os milhões de europeus que estão no limiar da pobreza. E não se explica também como é que as crianças que chegam sem pai nem mãe conseguiram pagar as viagens aos traficantes.

As nuvens milagrosas que chovem cartas bancárias.

 É impressionante mas a crer, parece que as cartas bancárias, ou chovem do céu, ou crescem como erva em qualquer lado por onde hajam clandestinos.

Uma explicação é nos dada por Oskar Freysinger, deputado na Suíça que afirma com conhecimento de causa, que a maioria dos clandestinos que desembarcam na Hungria, vêm todos artilhados com cartas bancárias! Razão pela qual, explica ele, que todas as caixas automáticas de levantamento de dinheiro ficam vazias após os clandestinos passarem por lá. Mas onde vão buscar essas cartas bancárias ?


Transcrição a partir de 2:30 a 2:58:

"Nós sabemos, e eu sei directamente através de fontes que estiveram no próprio local, quando eles chegam por exemplo da Macedónia á Sérvia, eles têm todos um telemóvel, estão muito bem vestidos, muito bem cuidados, em norma...eles têm cartas de crédito! E na última fronteira quando chegam á Hungria, por momentos as caixas automáticas ficam completamente vazias. Portanto, quem dá essas cartas bancárias a esses jovens ? Publicitam-nos essas pessoas como sendo pobres, que fogem e fogem da miséria e tudo o mais..."

Veja-se aqui algo mais que apoia os dizeres de Freysinger.

Merkel e o fecho de fronteiras

O acordo de Schengen foi assinado em 1985, mas entra em vigor só a partir de 1995.

Das condições tratadas para cessar o acordo Schengen, figura o artículo 2 que diz o seguinte:

« O Tribunal de Justiça não tem competência, em caso algum, para se pronunciar sobre medidas ou decisões relativas à manutenção da ordem pública e à garantia da segurança interna. »

Deste modo a camela da Merkel reconhece com toda a evidência que errou, pois a chegada massiva de clandestinos perturbou a ordem pública e provocou insegurança interna! Muitas violações de jovens alemãs, roubos, faltas de respeito... Não é só questão de falta de acolhimento. Até porque para acolhe-los, nada mais fácil que mandar os alemães pobres saírem de suas habitações sociais para dar lugar aos clandestinos, e esses que se desenrasquem.

Os protocolos de Mayer Rothschild (1773) - 2ª parte

 Continuação da 1ª parte

11) Ele expõe em seguida ponto por ponto as suas teorias sobre a guerra. Desde 1773, ele estabelece um principio que todos os governantes da Grande-Bretanha e Estados-Unidos fizeram conhecer publicamente como sua política em 1939: ter-se ia de fazer a política daqueles que querem a guerra para dirigir as conferencias de paz de maneira a que nenhum dos beligerantes obtenha ganhos territoriais. Diz também que as guerras seriam levadas de tal maneira que as nações implicadas, dos dois lados, veriam a sua dívida nacional aumentar mais e mais sob a influência de seus agentes.

12) Depois a administração. Diz aqueles que estavam presentes que eles deveriam se servir de suas riquezas "para escolher os candidatos ás funções públicas que fossem servos e obedientes de maneira a que eles possam ser rapidamente utilizados por homens avisados e engenhosos, ás nossas ordens, como piões num jogo. Esses homens seriam designados atenciosamente por nós para enfim agir nos bastidores dos governos como conselheiros oficiais". Ele acrescenta: "Os homens que nós designaremos como "Conselheiros" foram educados e treinados desde a infância segundo as nossas ideias para dirigir os negócios do mundo".

13) Ele ocupa-se da propaganda e explica como a união de suas riquezas permitiria controlar a informação publica enquanto eles ficariam na sombra e ao abrigo de toda acusação. Sem considerar as consequências da publicação de artigos difamatórios, caluniadores ou mentirosos, o conferencista declara: "Graças aos Média nós confiscamos o Ouro, um Ouro extraído de oceanos de sangue e lágrimas...Mas ele nos remunerou mesmo se nós sacrificamos muitos dos nossos. Cada victíma do nosso campo vale mais que um milhão de Goyims".

14) Explica em seguida a necessidade, para os seus agentes de aparecer bem em evidência publicamente logo que a situação fosse favorável e que as massas tivessem sido submetidas, se necessário pelo terror. Ele remarca que logo que chegasse o tempo de restabelecer a ordem, eles o fariam de tal maneira que as victímas acreditassem  estar quase submergidas por criminosos e irresponsáveis. "Em executando os criminosos e os malucos depois que se tivesse posto em acção o nosso «reino do terror», nós nos presentaremos como os salvadores dos oprimidos e campeões dos trabalhadores". O conferencista acrescenta então: "O que nós queremos na verdade, é o contrário...a eliminação dos Goyims".

15) Ele explica em seguida como é que eles poderiam "fabricar" as depressões industriais e o pânico financeiro e como poderiam utilizá-los para que servissem seus objectivos: "O desemprego e a fome serão impostos de maneira artificial ás massas graças ao poder que nós temos de criar penhorias de alimentos. Nós acordaremos ao Capital o direito de dirigir mais seguramente do que ele foi acordado á verdadeira aristocracia e pela autoridade legal dos Reis". Declara que graças ao controlo das massa pelos seus agentes, ser-lhes ia possível de utilizá-los para varrer todos aqueles que ousassem se opor no seu caminho.

16) Discutem em seguida de maneira ampla da infiltração na Franco-Maçonaria continental. O conferencista declara que o objectivo seria de aproveitar as facilidades e o sigilo que oferecia a Franco-Maçonaria. Remarca que eles poderiam organizar as suas próprias Lojas do Grande Oriente na Franco-Maçonaria Azul para difundir as suas actividades revolucionárias e esconder a verdadeira natureza de sua empresa sobre a manta da filantropia. Ele declara que todos os membros iniciados nas suas Lojas do Grande Oriente seriam utilizadas para fins de proselitismo, para difundir suas ideologias materialistas e ateístas no meio dos Goyims.

Ele termina esta etapa da discussão com estas palavras: "Quando a hora chegará para o nosso Senhor soberano do Mundo inteiro ser coroado, essas mesmas mãos afastariam tudo o que se pudesse entravar no seu caminho".

17) Ele dá explicações sobre o valor das mentiras sistemáticas, fazendo remarcar que os seus agentes deveriam ser aptos e muito exercidos ao emprego de frases bem balanceadas e de slogans populares. Eles deveriam por as massas muito afeiçoadas de promessas. Ele observa: "Podemos sempre em seguida fazer o oposto do que se prometeu...isso não acarretará nenhuma consequência". O seu raciocínio era o seguinte: em utilizando palavras como "Liberdade", "Direito da Cidade", podiam fazer os Goyims ir a um tal grau de fervor patriótico que seria mesmo possível fazê-los combater as leis de Deus e da Natureza. E acrescenta: "E por esta razão, depois que nós tivermos obtido o poder absoluto, nós rasgaremos para sempre da "Criação" o "Nome de Deus".

Continuação na 3ª parte

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Ministro Libanês estima que 2% dos imigrantes sejam terroristas do EIL

Quando da visita do primeiro-ministro David Cameron ao Líbano, o ministro Elias Bousaab disse ao chefe do governo britânico de que o Estado Islâmico teria infiltrando terroristas na Europa.

 "Digamos que 2% deles (imigrantes) são radicais islâmicos", alerta o ministro libanês.

"Isso é muito perigoso, porque eles recrutam jovens nas escolas. Recrutam em todo o lado. O estado-islâmico não vai parar ás fronteiras do Líbano. Antes que vocês o saibam, o EIL estará na Europa", diz o ministro libanês.

FONTE

Só um cego é que não vê que os políticos corruptos da UE fazem de propósito. Eles querem atentados terroristas para instaurar um estado-policial ou algo semelhante. Eles sabem muito bem que terroristas entram na Europa...

O que os médias nos escondem sobre os clandestinos


Hummm, na Rússia entravam logo na linha:


Cristãos Sírios são discriminados pela França


Coral de Santo-Inácio da Catedral Greco-Ortodoxa Mariamita Maronita de Damas

Vinte músicos sírios, membros de um coral religiosos greco-ortodoxo de Damas, viram-se seus visas recusados para a França e não poderão se apresentar a Strasbourg num festival de música religiosa.

Estes artistas com idades entre os 21 e 54 anos, membros do coral de Santo-Inácio da catedral greco-ortodoxa mariamita de Damas. Eles deviam dar três concertos em Strasbourg nom quadro de um festival religioso, explicou á AFP o seu presidente, antigo pastor Jean-Louis Hoffet. Desde Damas, os cantores ortodoxos foram á embaixada da França em Beirute para depor o dossier de pedido. Levavam bilhetes de avião de ida e volta, uma reserva de hotel e uma atestação do presidente da Câmara de Strasbourg, que subvencionava o festival. Mas os seus visas foram julgados pouco fiáveis, diz Sr.Hoffet. "É impressionante! Estou espantado que se recuse um visa a pessoas que apenas vêm cantar a sua fé nas nossas Igrejas, então que se faz grandes discursos sobre o acolhimento de 24 mil migrantes!", diz o organizador.



FONTE

Isto é, quem respeita a lei, não é bem-vindo. Seria coincidência a mais o facto de também serem cristãos ? Estou convencido que sim. Mais vale  desembarcar clandestinamente que se é logo aceite, nem se precisa de visa.

Para que servem os partidos de Direita e de Esquerda ?

Partidos de Esquerda: para destruir a religião, a família, a educação, a ordem e armadas militares, ao nome do laicismo, pacifista, generoso, igualdade e justiça social.

Partidos da Direita: para destruir as pequenas propriedades agrícolas, o artesão, o pequeno comércio, as PME e PMI, ao nome do liberalismo económico, dos consumidores e livre-comércio, no interesse do dinamismo económico, do emprego e dos consumidores.

Partidos do Centro: destruir as ideias de nação e patriotismo ao nome da amizade entre os povos e do humanismo.

Todos os três da vigarada cantam e exaltam através de campanhas anti-racismo para favorecer na opinião pública, a miscigenação, desenraizando assim todos os indivíduos de suas culturas, religiões, tradições, língua e história.

Os intelectuais judeus estão no topo de todas estas "promoções", exigem dos outros o que eles mesmos se recusam a fazer em casa. Em Israel é proibido por lei um judeu casar-se com alguém que não tenha sangue judeu. Para os outros exigem os casamentos multi-raciais.  Exigem que se destrua toda forma de patriotismo ou nacionalismo, enquanto eles em casa o cultivam. O judeu sempre tem uma dupla linguagem seja qual for a circunstância: exige sempre dos outros o que eles não se exigem a eles próprios.

 Autor: Gang2 Ervilha

159 milhões de imigrantes é o objectivo da ONU para a Europa até 2025

 É uma onda de imigração bem preparada desde á muito tempo e encontradas as condições propícias, arranca-se o plano Kalergi em massa.

Parece incrível mas é verdade, a ONU num relatório datado do ano 2000, preconizava que a Europa precisaria de 159 milhões de imigrantes!!! O relatório não o consegui, mas uma cópia pdf do jornal Le Monde datado do 6 Janeiro 2000, é noticiado esse relatório.

Pequeno trecho do cabeçalho:

«  Segundo a ONU, a Europa precisaria de 159 milhões de imigrantes até 2025.

Segundo os demógrafos das Nações Unidas, a União Europeia deverá, até 2025, abrir as suas portas a 159 milhões de trabalhadores imigrantes se ela quer manter o equilíbrio actual de 4 a 5 activos por 1 reformado. É a conclusão de um relatório preliminar intitulado "Migrações de substituição: uma solução ás populações em declínio e envelhecidas". Certo "esses números são politicamente inaceitáveis para os Europeus, explica ao Monde Joseph Chamie, director da divisão de população da ONU, mas eu não vejo outra solução que de olhar para esses problemas de face: as populações na Europa envelhecem a uma taxa alarmante, e torna-se indispensável tomar em conta as consequências económicas e sociais desse facto". »

Os Estados-Unidos também são visados por esse relatório (veja-se na p.2) com uma entrada de 150 milhões de imigrantes até 2025!

Notícia no jornal Le Monde aqui
Mais um link aqui que fala desta combina talmúdica.

Os efeitos da contracepção, da dita emancipação sexual, aborto legalizado, homossexualidade, laicismo, nada mais foram, e são, que ideais talmúdicos propagados para quebrar a alta taxa de natalidade europeia, com o objectivo claro de destruir a Europa, liquidar as populações europeias, e agora como solução milagrosa, propõem uma lenta e calma substituição de toda a população. Isto não pode ser assim. A defesa das minorias em prol da maioria tem de acabar!

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

É tudo nosso!


"Refugiados" partiram as portas de habitações, roubam a electricidade, a água e não dão contas a ninguém. O Presidente da Câmara de Beziers, no sul de França, chega e constata os desgastes e assinala que devido ao comportamento destes "refugiados" que partem tudo, eles não são bem-vindos e têm interesse a deixar a cidade.

Certo que estas habitações estavam vazias, mas também não é com este tipo de comportamento de destruição, sobretudo para com um país que os acolhe de braços abertos, que se vão atirar uns "bem-vindos", ao contrário.

"Eu não respeito as pessoas que não respeitam a minha cidade" diz o Presidente.

O imigrante no entanto poderia responder legitimamente: "Pois que teu país ajudou a destruir o meu, estou em pleno direito de partir umas simples portas para ter abrigo e roubar um pouco de electricidade e água, que são coisas insignificantes á vista da destruição que o teu país provocou no meu".

A França é na realidade um dos países que mais apoia o terrorismo na Síria, fornecendo material militar a vários grupos e o principal culpado na destruição da Líbia.Sempre a favor de Israel, claro.

123 milhões de europeus perto da pobreza

 Uma Europa que recebe actualmente milhões de imigrantes alçando as virtudes humanitárias de tal acto, mas que em casa dela, não olha a humanidade alguma. Aparentemente a humanidade só existe para a actual vaga massiva de imigrantes...

Em primeiro, esta Europa decadente (cuja decadência em si é apoiada e incentivada por governantes anti-democráticos, que se alinham contra os interesses dos povos europeus a favor de multinacionais e objectivos talmúdicos), deveria ter pensado evitar seja qual fosse a guerra instigada por americanos talmudilheiros.

Se eles sempre desejaram a guerra, então que a façam sozinhos, sem o apoio dos países europeus. Se por trás dos americanos, estão os interesses de Israel, então que esse Israel faça as suas guerras contra os povos árabes e que deixem de utilizar o Goyim como carne de canhão ao serviço dos seus interesses racistas e expansionistas.

Esta sim, seria a primeira medida humanitária que a Europa deveria ter tomado acima de qualquer interesse, pelo bem-estar do mundo. Mas não, achou-se por bem destruir a Líbia e a Síria...

Em paralelo com a industrialização da imigração em massa a ocorrer, segundo o relatório da Oxfam, perto de 123 milhões de europeus, estão perto da pobreza devido ás desigualdades crescentes e que tendem a amplificar-se cada vez mais com o tempo, quase 50 milhões destes, não têm capacidade de fazer face a despesas imprevistas. A mais, 7,5 milhões vivem abaixo do que se poderia designar como o mínimo essencial para poder usufruir de uma vida digna.

Entretanto, faz-se entrar milhões de imigrantes. O que irá agravar ainda mais rapidamente estas desigualdades e enviar para a pobreza ainda mais cidadãos, incluindo muitos desses imigrantes que mais tarde ou mais cedo, quando as ajudas sociais acabarem, também se encontrarão na pobreza. E depois ?

Se não existe emprego digno para os de cá, como é que estes políticos irão arranjar emprego para os que vêm de fora ? É uma questão que deve ser respondida. Se alguém conseguir responder, eu agradeço.

Relatório Oxfam

domingo, 13 de setembro de 2015

A Máfia Judaica (entrevista a Hervé Ryssen, 2008)

A Máfia Judaica

Entrevista com Hervé Ryssen

Réfléchir et Agir, Setembro 2008 (
versão pt/BR a partir do original)

R&A: Você publica um quarto livro sobre o judaísmo, e é ainda um livro de 400 páginas. Que traz ele de novo? Pensávamos que já tinha dito tudo?

HR: Remarque que eu também pensava assim! Mas o judaísmo é um mundo muito fechado, muito secreto, e vocês vejam que, depois de todos estes anos de estudo, ainda se aprende coisas muito desagradáveis e chocantes. Desta vez, eu explorei o mundo criminal vindo da comunidade judaica internacional, e o que se descobre é simplesmente incrível. Na realidade a máfia judaica é a principal máfia que existe neste planeta: racket, proxenetismo, tráfico de drogas, de armas, de diamantes e contrabando, de obras de arte, mortes a contrato, falcatruas em bando organizado, roubos á mão armada, etc. A pornografia, os meios do casino e discotecas são também largamente controladas por esses mafiosos israelitas.

R&A: Você pretende que o tráfico de droga internacional está em grande parte nas mãos dos mafiosos judeus. Será que está convicto de não querer se focalizar demais sobre o sujeito ?

HR: Não pretendo que a máfia judaica controla a maior parte do comércio internacional da droga, pois não existem estatísticas sobre o sujeito, mas a coisa não me parece exagerada, a julgar por todas as informações que consegui reunir. O facto é que desde o tráfico de ópio na China do séc.19 até aos nossos dias, esta máfia é muito empreendedora neste domínio. Sobre o tráfico de ecstasy, podemos afirmar com certeza que a máfia judaica está em posição de monopólio. O ecstasy é uma droga que faz mais desgastes na juventude europeia na actualidade. Uma pílula de XTC dá uma sensação de força e bem-estar durante algumas horas, mas é sobretudo uma autêntica lixeira química. Seus efeitos, a longo termo, são terríveis, pois irreversíveis: perda de memória, disfunção do comportamento, do sono, da concentração, lesões cerebrais nas crianças de mães drogadas. O primeiro país productor é a Holanda, mas os grandes traficantes que foram foram apanhados desde á uma dezena de anos na França, Bélgica, nos Estados-Unidos ou Austrália, possuem todos passaportes israelitas. O comércio do ecstasy está 100% nas mãos dos mafiosos judeus, que não são todos originários da Rússia, pois encontramos também traficantes sefaraditas. Se você compra uma pílula XTC, em todo o caso, você pode estar certo de financiar a máfia judaica. Alguns dos maiores traficantes estão também implicados no comércio da heroína e cocaína.

R&A: A máfia judaica terá ela ligações com os famosos cartéis da droga colombianos ?

HR: Sobre isso não há nenhuma dúvida. Veja um só exemplo: no 16 de Fevereiro de 1993, os agentes de policia russos de Viborg, perto da fronteira russo-filandesa, ao lado de São-Petersburgo, meteram a mão em mais de uma tonelada de cocaína colombiana dissimulada em latas de conserva corned-beef. Era um israelita residente em Bogotá, Elias Cohen, casado com uma colombiana muito chegada a um dos clãs ligados ao cartel de Cali, que assegurava o aprovisionamento da rede aos lados de um certo Yuval Shemesh. O destinatário final da cocaína era um grupo de traficantes instalados na Holanda. A cabeça do grupo era um certo Jacob Korakin. Korakin era um judeu religioso, portava a kippa, e era muito respeitado no bairro de diamantes de Anvers.

R&A: Alguns diamantários de Anvers, de Nova York e Tel-Aviv parecem efectivamente ter um role importante, e em especial no branqueamento de dinheiro sujo.

HR: Os diamantários estão no centro das operações de branqueamento de dinheiro da droga dos cartéis colombianos. Em Manhattan, a 47ª rua, que é o coração de toda a sua actividade, é também a maior lavandaria de dinheiro da droga. O rabino Yosef Crozer foi detido em Fevereiro de 1990, quando ele se rendia a Brooklyn com as malas e sacos empilhados de notas, em pequenos maços. Havia quase 300 mil dollars. A sua cooperação com os policias havia permitido prender no mês seguinte umas 30 pessoas na comunidade de judeus ortodoxos, dos quais Avraham Sharir, um outro judeu religioso, proprietário de uma loja de venda de ouro na 47ª rua, e que na realidade, era um dos personagens chefe do branqueamento do dinheiro proveniente da droga de Nova-York. Avraham Shafir, cidadão israelita de 45 anos, confessou em seguida ter branqueado 200 milhões de dollars por conta do cartel de Cali. Os seus empregados, que contavam as notas, eram obrigados a sair para apanharem ar fresco, porque as notas, em pequenos maços, estavam enroladas e tinham servido para snifar cocaína.

R&A: Parece que alguns judeus religiosos não se incomodam lá muito com a moral...

HR: Os judeus hassídicos estão mesmo muito implicados nos tráficos. Em 2001, a policia tinha desmantelado uma rede dirigida por um outro judeu hassídico, Sean Erez, que tinha investido no tráfico de ecstasy. A droga era passada fraudulentamente nos chapéus ou ainda dentro dos rolos de rezas desses judeus religiosos, que os alfandegários não eram supostos desconfiar.

Em Julho de 1998, a pequena comunidade de diamantários de Anvers na Bélgica, foi fortemente sacudida após uma série de arrestações nos Loubavitchs. Tinha-se descoberto que o comércio de diamantes na cidade neerlandesa cobria um tráfico internacional de heroína. Quinze quilos foram apreendidos. Um judeu ortodoxo, Dror Hazenfratz, estava na liderança da rede. Nascido em Haifa, Hazenfratz tinha um passaporte israelita e uma carta de identidade belga. Frente ao tribunal, ele aparecia com vestimenta tradicional, em negro, chapéu e tranças, o que não impediu de ser condenado a 11 anos de prisão. Existem inúmeros exemplos.

R&A: Você foi até aos gangsters americanos dos anos 30...

HR: Sim, interessei-me também a esses gangsters místicos que tinham trabalhado com as máfias sicilianas. Os gangsters judeus estavam notavelmente implicados na "Murder Incorporated", uma espécie de mutual do assassinato graças á qual um chefe local poderia beneficiar dos serviços de assassinos vindos de uma outra localidade e evitar assim a inculpação. Murder Incorporated era um gang composto principalmente de malfeitores judeus, que se encarregavam de executar as ordens do Sindicato do crime. Estima-se que, de 1933 a 1940, a organização foi responsável por mais de 700 assassinatos, mas alguns falam de 2000. As execuções com arma de fogo eram muito facilmente identificáveis, preferia-se o afogamento, a arma branca, o taco de basebol, a corda de piano e sobretudo o picador de gelo. Tudo isso faz também parte da história do povo judeu.

R&A: Como se explica que nunca entendemos falar disso ?

HR: É sempre esse famoso reflexo de projecção que eu falei nos meus dois anteriores livros. Os intelectuais judeus projectam sempre sobre os outros as coisas que eles se sentem culpados. Eles dizem ser victímas do comunismo, por exemplo, sendo que eles eram os principais instigadores. Da mesma maneira, Freud projectava um problema próprio ao povo judeu - o incesto - num plano universal, e toda a gente cai na armadilha.

Nos anos 1990, os médias falavam na terrível "máfia russa". Mas a verdade obriga a dizer que todos os mafiosos "russos" que foram presos estavam todos em possessão de passaportes israelitas. O principal deles, Semion Mogilevitch, grande traficante de armas que fazia trabalhar centenas de mulheres russas e ucranianas em Praga e Budapeste, foi preso a Moscovo em Janeiro de 2008. Em França, o Courrier International foi o único jornal a falar disso, mas claro, o facto de o personagem ser judeu não aparece: era um "russo"!

No cinema de Hollywood, igualmente, os traficantes de droga, os malfeitores, os maus da fita, quando eles não são sicilianos, são muito frequentemente homens brancos de tipo nórdico: nunca judeus! Os realizadores cosmopolitas têm sem dúvida qualquer coisa a haver nesse truque de passe-passe.

SITE DE HERVÉ RYSSEN
(se não vêm nada mais que livros no site, é porque todos os sites de Hervé foram censurados no passado, limitando-se agora a expor unicamente os seus livros sem comentários)

Mais informações sobre a Máfia Talmúdica aqui.

sábado, 12 de setembro de 2015

Judeu americano preparava-se para cometer atentado no 11/09

Dos terroristas muçulmanos, toda a gente fala, aparece logo na tv...este não sei porquê, se calhar por ser judeu, ninguém diz nada.

Joshua Ryne Goldberg, preparava-se para cometer um atentado num memorial que comemora o 11 Setembro, em Kansas City, no Missouri.

FONTE

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Serão os judeus os principais promotores da pornografia mundial ?

Já há alguns anos atrás, Nathan Abrams, um judeu, escreveu um artigo sobre um facto algo desconhecido ou pouco falado: a influência desproporcional dos judeus na indústria pornográfica.

Considerando que apenas sejam 2% da população americana, foram eles que impulsionaram toda a indústria pornográfica nos Estados-Unidos. De lá então contaminaram todo o mundo. Não são só eles os culpados, pois já dizia o grande filósofo Ibn Khaldoun que o servo tem sempre tendência a se comportar como o Mestre, seguir as suas tendências, se vestir como ele, a mesma maneira de falar, os mesmos costumes, etc, mas sempre em se rebaixando cada vez mais, servindo-o mais e melhor até que a língua se gaste e não mais possa lamber as solas do Mestre. Nos nossos tempos dizer-se-ia de tal "servo" um simples "lacaio". É precisamente neste caso de figura que se encontra a maior parte do mundo.

Já não me lembro em que documentário televisivo se dizia que 90% de toda a pornografia mundial é proveniente dos Estados-Unidos. Infeliz destino o deste País, cujos objectivos obscuros são o de criar a desordem aos quatro cantos da terra, tanto no plano físico como moral (os países anglo-saxões são o ferro de lança dos talmudistas).

Apesar das múltiplas informações que o artigo nos faz descobrir, passo a citar alguns trechos do artigo que me parecem mais relevantes:

« Al Goldstein, editor de Screw, diz: a única razão pela qual os judeus estão na pornografia, é que nós não gostamos do Cristo e do Catolicismo. Nós não cremos no autoritarismo." A pornografia é então um meio de corromper a cultura cristã e, como ela penetra até ao coração da mentalidade americana (sem dúvida consumida por esses mesmos WASP- White Anglo-Saxon Protestant)

[...] Uma grande quantidade da propaganda sobre a liberação sexual foi escrita por judeus. Aqueles que estão na frente progressiva desse movimento que forçou a América a adoptar uma visão mais liberal do sexo eram judeus.

[...] Wilhelm Reich, Herbert Marcuse e Paul Goodman substituíram Marx, Trotsky e Lénine dentro das leituras revolucionárias. As preocupações centrais de Reich eram o trabalho amor e sexo, enquanto Marcuse profetizava que uma utopia socialista permitiria libertar os indivíduos e de os fazer alcançar a satisfação sexual. Goodman escrevia que as "belas consequências culturais" que resultariam da legalização da pornografia: "enaltecer toda a nossa arte" e "humanizar a sexualidade".
»

Não me impressiona esta maneira de pensar tipicamente de pessoas imorais. Mas seja em que lado for e que negócio for, para roubar não se fazem rogados. O primeiro filme culto do porno-talmude com a actriz Linda Lovelace e Harry Reems , aliás de seu verdadeiro nome Herbert Streicher (diz-se que se converteu anos mais tarde ao cristianismo), realizado por Gerard Damiano cuja esposa foi Paula Morton, aliás Paula Reisenwitz , deu origem a um encaixe de 600 milhões de dollars e apenas pagaram 1250 dollars á actriz, que disse mesmo assim nunca ter recebido tal quantia (sic!).

Agora este trecho que não deixa mesmo nada de ser super-interessante: "No geral, os artistas pornográficos são um grupo de pessoas que louvam a rebelião, a satisfação e a promiscuidade."

Nesta frase, o autor do artigo tenta ardilosamente proteger os seus compatriotas talmudilheiros. Ao longo de todo o artigo, o acento é posto no feito de que os patrões judeus da pornografia mundial são ateus...se minha memória não está errada, por acaso não eram os Marranos que também diziam ser cristãos ? Não eram também os Dohmes que diziam ser muçulmanos ?

Nem vale a pena estarem a esconder os nomes, porque com o tempo tudo se descobre mais tarde ou mais cedo.

Seria talvez mais propicio e claro dizer-se "talmudografia" em vez de "pornografia".

No fim fica claro que não é um mito que os judeus estão na vulgarização da pornografia mundial, pois é justamente um intelectual judeu que o afirma.

 Autor: Gang2 Ervilha

Arábia Saudita recusa acolher refugiados, mas oferece-se para construir 200 mesquitas na Alemanha

É com este tipo de notícias que se nota claramente a hipocrisia e falsidade dos países islâmicos ricos e uma verdadeira manipulação mediática da crise dos refugiados.

Oferecem milhões para construir mesquitas na Alemanha para os imigrantes e ao mesmo tempo recusam-se a acolher os próprios irmãos na fé. A Europa graças aos políticos corruptos e sobretudo contra a vontade da maioria das populações europeias (onde está a democracia?), impõe o acolhimento obrigatório aos ditos "refugiados", estes, pelo menos a maioria, não passam de imigrantes económicos segundo o euro-deputado Nigel Farage.

FONTE

Nigel Farage: "A maioria são imigrantes económicos".


Declarações do eurodeputado Nigel Farage, transcrição até ao minuto 1:26:

« Obrigado. Sr. Juncker, você simplesmente enganou-se. Eu tinha-o avisado em Abril, a política europeia de asilo define-se em termos assim largos que dizer que qualquer pessoa que põe um pé no solo europeu pode ficar.

Eu disse-lhe que isso originaria um fluxo de proporções bíblicas e pois é o que nós começamos a ter.

Esta situação agravou-se quando a Alemanha declarou que definitivamente todo a gente pode vir. É um pouco tarde agora para dizer aos países quem pode ficar ou não. Tudo o que eles têm a fazer agora é deitar fora os seus passaportes no mediterrâneo e dizer que vêm da Síria.

Como nós o sabemos, o Primeiro-Ministro Eslovaco teve a honestidade de o dizer, que a maioria deles são migrantes económicos.

Para mais, sinais o mostram, e eu avisei-o bem antes, que o EIL utiliza agora esta estrada para por os seus djihadistas em solo europeu. Nós devemos estar malucos para tomar esse risco com as nossas sociedades interligadas.

Se nós queremos ajudar os refugiados autênticos, se nós queremos proteger as nossas sociedades, se nós queremos parar os criminais que beneficiam com o tráfico de migrantes, nós devemos parar os barcos que chegam, como fizeram os Australianos e então nós podemos determinar a quem dar o estatuto de refugiado.
»

========================================================================

Muitos são mal intencionados, o agradecimento é a destruição por onde passam. Claro que todos os imigrantes não são assim. As forças da ordem são impedidas de reagir, porque é um atentado aos "direitos do homem" restabelecer a ordem...mas em todo o caso, não devemos reagir pela emoção mas sim pela razão, pois estes imigrantes são eles mesmos victímas, sem o saberem, de um plano de desestabilização da Europa. Os culpados são os talmudistas e seus lacaios. Com esses é que se tem de ajustar contas. A hora deles chegará um dia...

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

De Marx a Kalergi até ás vagas imigratórias

Antes de tudo aqui neste blog, chama-se de "imigrante" e não "migrante" a alguém que vem de outro país. O termo "migrante" muito utilizado pelos médias (muito recente) em detrimento de "imigrante", é fruto de uma manipulação mediática que visa esvaziar de sentido e render oco, o que sempre se designou pelo justo termo. A predominância actual e propositada de "migrante", parece trabalhar as mentes com eficácia para uma futura abolição dos Estados-Nação Europeus, daí a noção de "migrante", pois dá a entender que não vem de fora, mas simplesmente se move num mundo sem fronteiras, sem cultura, sem raízes. Não se deve então cair nesta armadilha mediática, deve-se designar correctamente as coisas pelo seu nome.

Pequeno ensaio sobre as teses marxistas como principal fonte do plano Kalergi.

Nestes tempos tumultuosos que correm, chegamos a uma etapa em que se procede á "industrialização" imigratória, de massa, desenfreada, sem controle.

O Plano Kalergi

Aqui fica um link que explica bem do que se trata, apenas se acrescenta que o banqueiro talmudista Max Warburg foi um dos financiadores da revolução bolchevique, o que dá para ter uma ideia da mentalidade do personagem que vai decidir apoiar o começo do Pan-Europeísmo de Kalergi. Agora vamos tentar ir ás profundezas do plano Kalergi ou da possibilidade  ideológica que o precedeu. .

Marx, a fonte de ideias do plano Kalergi ?

Não é questão aqui de se atardar muito nas teses marxistas, mas focar apenas pontos essenciais que nos ajudem a compreender o provável pano de fundo do plano Kalergi. O pai do comunismo nas suas teses fala de "imigrantes", dos povos europeus, dos povos residentes fora da Europa.

Vamos ver como Marx caracteriza uns e outros...

Os povos europeus, segundo Marx, têm características muito próprias que nenhuma outra civilização possui. Conservam no sangue uma hereditariedade revolucionária  e comunal, que por si só é uma fonte de ameaças ao capitalismo ou toda outra forma de alienação. Uma civilização em constantes mudanças radicais, repentinas, em rápida evolução, onde o tempo nunca pára. Em contraste Marx descreve todos os outros povos como estagnados no tempo, não lhes está na cultura o instinto revolucionário e emancipativo próprio ás gentes do continente europeu. Sempre segundo Marx, o tempo anda, está sempre móvel no modo de estar dos europeus, enquanto nos outros, considera que o tempo parou, a temporalidade é imóvel. Não há evolução nem dinamismo.

Talvez Marx tenha razão nestes aspectos. Basta ver historicamente que qualquer revolução no continente europeu teve e tem o poder de mudar o mundo. Não é por acaso que as duas grandes guerras tiveram lugar na Europa. As duas grandes revoluções culturais americana e francesa passou-se exactamente entre europeus.

Bem, é sob este ponto de vista marxista, que pessoalmente penso e estou convencido, que muito provavelmente Kalergi vai tomar como um dos seus pontos de inspiração, elaborando o seu plano com a premissa de que: se se deslocar a população de temporalidade imóvel para o local da população de temporalidade móvel, de maneira a que lentamente estas sejam submergidas ou minoritárias, quebra-se então o espírito revolucionário e dinâmico das gentes europeias, e como resultado ter-se há no final, uma população dócil e obediente que não se oporá á máquina capitalista, pois estes não herdam das características próprias ás populações de temporalidade móvel. Tem-se assim os perfeitos escravos do capitalismo. Uma massa de pessoas indistinctas, desenraizada e vazia de cultura ancestral. É no seu geral a tese marxista da substituição de uma força superior mas dispendiosa por várias forças inferiores e baratas. A substituição de uma população por uma outra, a dita "armada de reserva".

Estas massas imigratórias da actualidade, no fundo espelham o que Marx havia previsto bem antes de Kalergi nascer e escrever os seus planos talmúdicos. De qualquer das formas um talmudista que se inspira de outro talmudista jogam em casa.

É apenas um pequeno ensaio que me parece muito provável baseado nas teses marxistas que têm como estandarte a luta de classes, e que deste ponto de vista dá uma certa luz para compreender estas vagas imigratórias. Claro que ter-se ia de considerar vários outros parâmetros, sobretudo o religioso que parece ser o principal. Mas se se Marx estiver certo, explica sim em grande parte todo este fenómeno de massa imigratória, que no fundo pensando vir encontrar boas condições de vida, apenas são mais umas victímas que estão sendo manipuladas e serão escravizadas como mão-de-obra barata. Isto terá como consequência uma quebra do nível de vida das populações europeias e uma explosão de crise social e atritos raciais. Como e até onde, é explicado no ponto 5 deste artigo.

Também se pode dizer que a teoria de Marx da "luta de classes" se vai transfigurar como sendo desta vez as populações imigrantes designadas por "proletariado" e as populações europeias como os "capitalistas". Os "racistas" como capitalistas e "anti-racistas" como proletariado, ou o inverso. A "sociedade sem raças" substitui "uma sociedade sem classes". Enfim as equivalências entre Marx e o plano Kalergi são múltiplas. Algo próprio aos talmudistas.

Ditas estas considerações, penso verdadeiramente que o plano Kalergi se inspirou de Marx, mesmo se não existam provas palpáveis, deve-se considerar esta pista.

 Autor: Gang2 Ervilha

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Discurso impressionante de uma jovem síria sobre os refugiados e guerra Síria


Transcrição:

« Caros amigos

Estou aqui á vossa frente como cidadã síria orgulhosa, para vos falar da situação no meu País, que é também importante para a Sérvia.

Nós éramos um povo amado e respeitado. Antes desta guerra, a nossa preocupação principal era a Palestina. Nós queríamos resolver pequenos problemas em relação ao que afrontamos hoje: a burocracia e a corrupção em certos sectores. Nós não conhecíamos a injustiça, nem o terrorismo ou a criminalidade. Nós trabalhamos muito durante estes últimos 10 anos, antes desta guerra, e tínhamos feito progressos. A coisa mais importante é que antes desta guerra, não havia refugiados sírios.

Nós tínhamos uma identidade nacional forte. Esses que vocês veem nas ruas de Belgrado, em direcção á Alemanha ou á Holanda, não são verdadeiros sírios. Não me interpretem mal sobre o que digo: adoro o meu povo. Mas eu amo aqueles que combatem pela Síria, pela nossa pátria.

Sim, esses "refugiados" sofrem, mas quem não sofreu com esta guerra ? Porque é que o resto dos sírios fica e resiste ? Se eles fossem verdadeiros refugiados, eles ganhariam o local mais seguro e próximo e não combateriam a polícia húngara com o objectivo de irem para a Alemanha.

Deixem-me por-vos uma questão: se o Ocidente não quer esses refugiados ou não quer que eles morram no mar, porque então não levantam as sanções contra o povo sírio que já custaram 143 mil milhões de dollars á Síria ?

Se não são os planos do Ocidente, porque não ajudam os sírios a ficar para ajudar o exército sírio a se desembaraçar dos terroristas e voltar a ter uma Síria segura ? Porque não ajudam eles a reconstruir as casas destruídas com o dinheiro que eles dispensam com os refugiados ?

Os ocidentais pilharam a Síria das pessoas que a podiam reconstruir. Eles querem quebrar a Síria e o povo sírio. De um lado, eles querem os doutores sírios e os seus melhores estudantes, isso provocará uma fuga de cérebros. E de um outro lado, as multinacionais querem uma mão-de-obra barata para fazer baixar os salários.

Nós perdemos até agora 100 mil soldados nos combates contra os extremistas. Eu não escuto o Ocidente a chorar por eles, sobre aqueles que deram as suas almas para defender a Nação e deixaram para trás famílias, que precisam de ajuda. E doutro lado, o Ocidente lamenta-se sobre o destino das pessoas que fogem e deixam para trás os seus Países. Muitos deles são djihadistas que ainda por cima são pagos com milhões de euros para isso.

Deixem-me vos dizer que a soma gasta por uma família para vir para a Europa é suficiente para comprar uma casa num local seguro na Síria, começar um novo trabalho e viver correctamente.

Eles não são refugiados. São imigrantes cujas motivações são económicas.

Após cinco anos de guerra, a nossa marinha cumpre até agora os seus deveres internacionais. Nossa costa é bem guardada e nem um só barco de imigrantes parte da Síria.

Uma outra tendência nestes últimos tempos é a de fazer sair todos os cristãos da Síria, para a esvaziar de uma das suas primeiras terras cristãs dos seus cristãos. O que nós passamos hoje na Síria é similar ao que vocês passaram na Sérvia. Eles visam a nossa identidade, a nossa unidade e soberania.

(Público diz : Longa vida á Síria!)

Longa vida á Sérvia!

Gostaria de sublinhar que as nações Sérvia e Síria sempre foram amigas. Nós temos uma grande e respeitada comunidade Ortodoxa. A Síria não reconheceu a independência do Kosovo e nós temos bastantes inimigos comuns. Vocês devem saber que quando se batem contra os políticos que fazem a promoção da Nova Ordem Mundial, os interesses dos Estados-Unidos e a imigração de massa, vocês salvam ao mesmo tempo a vida e o futuro e muitas pessoas.

Nós somos muito ligados. Os mesmos terroristas albaneses que combatiam no Kosovo matam hoje os civis na Síria. E isto é permitido pelos mesmos políticos corruptos nos Estados-Unidos, pelos seus aliados na União-Europeia e aqueles que os seguem aqui na Sérvia. E estejam conscientes que a vaga migratória vai vir um dia para a Sérvia.


Caros amigos, tudo o que eu vos peço hoje, é de estar ao nosso lado como povo, nós que vos defendemos ao mesmo tempo que nos defendemos a nós mesmos. Apoiem o nosso exército e nossa justa causa porque se nós perdemos esta guerra, os djihadistas não vão parar na Síria.

Juntos nós resistiremos até á victória.

Obrigado
»

Tradução por gang2 ervilha

Dezenas de alemães são obrigados a ceder seus alojamentos sociais aos refugiados

Para as legendas, ir nas "definições", clicar em "legendas", depois clicar em "traduzir" e escolher "português". A tradução em "português" é muito correcta, quase profissional, apenas se nota umas baralhadas aqui e ali.

Se tiver problemas com o método acima para as legendas, proceda então da seguinte maneira passo a passo: 1-clique em "definições" / 2-clique em "legendas" / 3-clique em "francês" / 4- clique agora novamente em "legendas" / 5-clique em "traduzir, agora o menu de línguas vai aparecer, desfilar até "português" e clicar.

Documentário em que se mostra a crise do alojamento para os "refugiados". Os alemães de baixo rendimento e que habitam em alojamentos sociais, são obrigados a deixar as casas para os refugiados e procurarem habitação. Muito difícil encontrar casas baratas, estes alemães pobres, na sua maioria antigos sem-abrigo, casos sociais, velhotes, e que entretanto alguns constituíram família, vêm-se agora confrontados com um futuro pouco risonho por causa destes "refugiados" a quem se lhes dá tudo, e para que eles tenham tudo, alguém terá de ficar sem nada...

Reportagem do canal de televisão alemão Das Erste do 25 Agosto 2015:


Merkel a traidora: O afluxo de migrantes vai mudar a face da Alemanha.

A destruição programada da Alemanha